Cientista que estudou com livros do lixo pesquisa tratamento para asma

Dayene estudou com livros que ela encontrava no lixo. Hoje a pesquisa é voltada para terapias que tratam a asma





A história da Dayene Caldeira, de 28 anos, é daquelas para inspirar muita gente! Ela cresceu na periferia do Rio de Janeiro e, quando pequena, estudava com os livros do lixo, que encontrava enquanto catava recicláveis para vender com a avó.

Hoje Dayene é doutora em ciências biológicas no Laboratório de Investigação Pulmonar da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e se inspirou justamente na doença da avó para procurar ajuda para outras pessoas. Ela está fazendo uma pesquisa para desenvolver uma terapia para tratar a asma.

“Eu conheci a ciência através de livros do lixo, aprendi inglês através do lixo. Essa parte da minha vida é muito importante e por algum tempo eu escolhi para quem eu iria dizer isso. Mas eu resolvi que deveria me apropriar da minha história, sendo ela boa ou não. E quando a gente compartilha isso, temos a capacidade de alcançar pessoas que a gente nem conhece e que podem se inspirar”, conta a cientista.


Melhorar a qualidade de vida 

O estudo de Dayene é feito sob uma nova perspectiva, na qual ela pensa em melhorar a qualidade de vida do paciente e, se possível, recuperar totalmente o tecido pulmonar. Ela conta que não tem como falar em cura no momento, mas sabe que esse é o maior propósito da Ciência, quando estuda uma doença.

A pesquisa ainda está na fase de estudos pré-clínicos, com testes in vitro e em animais e deve durar até o fim do doutorado dela, previsto para 2024. Os testes clínicos, com seres humanos, vão fazer parte do pós-doutorado de Dayane. Ela viajará no final do ano para continuar as pesquisas na Universidade de Vermont, nos Estados Unidos.


Se inspirou na avó

Dayene conta que viu a avó sendo internada muitas vezes com crises de asma. Com o passar dos anos, ela viu que não havia um tratamento tão efetivo para esses pacientes e resolveu iniciar a pesquisa. Ela conta que quer ajudar principalmente pessoas como a avó dela, que nunca teve acesso a tratamentos de ponta.

“Minha família é uma família de mulheres negras que fazem parte dessa [maioria da] população que não teve acesso à saúde. Minha avó nunca teve acesso a medicações ou a terapias avançadas como essa que desenvolvo hoje”, explica Dayene.




Estudantes SC criam detergente biodegradável para louças

Um detergente biodegradável para lavar louças, que não prejudica o meio ambiente, foi criado por duas estudantes do Colégio Bom Jesus de Itajaí, em Sa...

Satélite de missão chinesa tira ‘selfies’ de Marte

O satélite que a China enviou para Marte em julho de 2020 fez uma série de ‘selfies’ capturadas de uma câmera que permitiu que a própria nave ficasse ...

Jovem cria mini robô que percorre desertos plantando sementes

Quando finalizou o curso no Instituto de Design e Inovação de Dubai, Mazyar Etehadi, de 24 anos, decidiu que usaria o que aprendeu para encontrar solu...

Cientistas criam curativo inteligente que funciona por aplicativo

Cientistas criaram um curativo inteligente que pode ser super útil para pessoas com a chamada úlcera do pé diabético. A tecnologia de sensor vestível ...

Pesquisadores de SC conquistam primeiras colocações em prêmio nacional

Santa Catarina foi um dos destaques no 1º Prêmio Confap de Ciência, Tecnologia & Inovação – Professor Francisco Romeu Landi. O Estado conquistou o pri...

Britânico recebe 1º olho impresso em 3D do mundo

Um paciente britânico se tornou a primeira pessoa no mundo a receber um olho impresso em 3D. Steve Verze, engenheiro de 47 anos, de Hackney, fez o imp...

Estudante do RJ se classifica para maior feira científica do mundo

O estudante do Rio de Janeiro, Vinícius de Moraes, de 18 anos, conquistou uma vaga para participar da Feira Internacional de Ciências e Engenharia (IS...

Brasileiros desenvolvem protetor solar e anti-inflamatório com pequi

Pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp) encontraram um maneira barata de desenvolver um anti-inflamatório e protetor solar com pequi, ...

Adolescentes criam robôs que facilitam a rotina de idosos

Adolescentes criam robôs pensando em facilitar a vida de idosos! Foi com essa ideia de empatia na cabeça que alguns alunos de uma escola de robótica e...

Carteira de Trabalho Digital chega a 500 milhões de acessos

Os serviços da Carteira de Trabalho Digital alcançaram a marca de 500 milhões de acessos, desde janeiro de 2019. Desse total, 272 milhões foram em 202...

Brasileiros criam curativo para regeneração óssea bucal: biodegradável

Pesquisadores da UFC (Universidade Federal do Ceará) estão desenvolvendo um curativo que estimula a regeneração óssea bucal. Além disso, o produto é b...

Leilão do 5G recebe inscrições de 15 empresas de telecomunicação

Nesta quarta-feira (27), 15 empresas e consórcios foram credenciados para o leilão marcado com o objetivo de selecionar as operadoras de serviços de c...